Alta do desmatamento, queimadas na Amazônia e óleo no litoral: o ano no meio ambiente
25/12/2019 08:09 em TECNOLOGIA

Sucessão de crises ambientais levou o Brasil a receber o prêmio simbólico de 'Fóssil Colossal' em dezembro, por suas ações consideradas prejudiciais ao meio ambiente. Relembre em 14 pontos as principais notícias do ano.

Por G1

 

 

O ano de 2019 na área ambiental ficou marcado por uma sucessão de crises no Brasil, incluindo o avanço do desmatamento e das queimadas na Amazônia. O monitoramento oficial entre agosto de 2018 e julho deste ano apontou a maior área de árvores derrubadas desde 2008 na região e um aumento de 82% no número de queimadas no Brasil entre janeiro e agosto.

 

Também foram destaque os alertas e impactos do aquecimento global em fenômenos do clima; os embates entre o governo federal e as organizações da sociedade civil, comunidade científica e governos internacionais que financiam projetos ambientais no Brasil; a ascensão da adolescente sueca Greta Thunberg como maior voz do ativismo ambiental jovem; e as muitas toneladas de petróleo cru que contaminaram as praias de todos os estados do Nordeste e parte do Sudeste.

Relembre em 14 pontos os eventos que marcaram o ano no meio ambiente:

 

  1. Aquecimento dos oceanos
  2. Pantera negra
  3. Servidor do Ibama exonerado
  4. Plástico e a poluição do mar
  5. Presidente do ICMBio pede demissão
  6. Um milhão de espécies ameaçadas
  7. Paralisação do Fundo Amazônia
  8. Exoneração do diretor do Inpe
  9. Queimadas fizeram o dia 'virar noite'
  10. Alta do desmatamento
  11. Óleo no litoral
  12. Frustação na Conferência do Clima
  13. Salles e o Brasil na COP 25
  14. A ascensão de Greta Thunberg

1. Aquecimento dos oceanos

 

 

Um estudo publicado em janeiro mostrou que o aquecimento dos oceanos bateu recorde. As águas do planeta atingiram as temperaturas mais altas dos últimos 60 anos. A pesquisa, feita com base nos dados mais recentes do Instituto de Física Atmosférica, na China, foi publicada na revista científica "Advances in Atmospheric Sciences".

 
COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE